Um dos sobreviventes, o goleiro Jackson Follman, jogou no Linense no ano passado (Foto: Divulgação/Linense)
Follman é goleiro reserva da Chapecoense (Foto: Divulgação/Linense)


Um dos seis passageiros resgatado com vida após a queda do avião da Chapecoense em Medellín, o goleiro Jackson Follmann teve uma das pernas amputadas em decorrência do acidente. A informação é da repórter Lívia Laranjeira, do SporTV. Além do jogador de 24 anos, outros dois atletas do elenco da equipe catarinense estão internados em hospitais da região: o zagueiro Neto e o lateral Alan Ruschel. Em função do acidente, a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional foi suspensa. O primeiro jogo seria disputado nesta quarta.


Em Boa Vista do Buricá, no Noroeste do Rio Grande do Sul, familiares do jogador agradeciam pelo milagre após receber notícias de que Follman estava vivo.


- Em um acidente de avião, você sabe que a chance de sobrevivência é praticamente zero. Então, ele estar entre os sobreviventes é um milagre de Deus. A gente só está numa agonia para saber o estado de saúde dele, não sabe nada por enquanto. Se sabe que ele está no hospital - disse o pai do atleta, Paulo Follmann, em entrevista ao G1.


- A gente acordou com uma ligação da noiva dele, que tinha acontecido esse acidente. Na hora meu marido entrou em choque, ficou apavorado. Eu também. A gente fica sem chão, mas coração de mãe nunca se engana. Meu coração dizia que Deus estava protegendo ele, que ele estava bem - acrescentou a mãe, Marisa.



Reserva de Danilo, Follmann foi contratado em maio pela Chapecoense como reforço para o Campeonato Brasileiro. No Rio Grande do Sul, Follmann jogou no Juventude e no Grêmio. Além dos jogadores, o jornalista Rafael Henzel e os comissários de bordo Erwin Tumiri e Ximena Suarez também foram resgatados com vida. Pela lista oficial das autoridades colombianas, o voo tinha 81 passageiros, mas quatro não embarcaram.


A delegação da Chape saiu de Guarulhos para Bolívia em voo comercial com 72 passageiros e nove tripulantes. Após escala técnica, deixou Santa Cruz de La Sierra em direção a Medellín. Quando sobrevoava a região de Antióquia perdeu contato com o aeroporto, que confirmou o acidente. A causa do acidente teria sido uma pane elétrica. Ainda de acordo com a imprensa local, o piloto teria liberado combustível para evitar explosão após o pouso forçado.

O local da queda do avião é de difícil acesso. Além disso, o mau tempo na região metropolitana de Medellín, além da baixa temperatura - 5º C durante a madrugada, atrapalhou ainda mais o resgate. De acordo com informações fornecidas pelo aeroporto José Maria Córdova, a aeronave perdeu contato com a torre de controle às 21h33 locais (0h33 de Brasília) e caiu às 22h15 (01h15 de Brasília).

Fonte: GE
O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29), informam autoridades colombianas. Segundo autoridades colombianas, há 76 mortos e cinco sobreviventes. O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.
Segundo informações do Bom Dia Brasil, o diretor de um hospital envolvido no socorro disse que apenas cinco pessos sobreviveram ao acidente. São eles: os jogadores Alan Ruschel, Danilo e Follmann, o jornalista Rafael Henzel e um comissário. Uma sexta pessoa chegou a ser socorrida com vida, mas morreu no caminho para o hospital.
Os jogadores da equipe de Santa Catarina são os goleiros Danilo e Follmann; os laterais Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo; os zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco; os meias Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.
  •  
Ferido em queda de avião da Chapecoense é atendido em hospital na Colômbia (Foto: Reprodução/TV Globo)Ferido em queda de avião da Chapecoense é atendido em hospital na Colômbia (Foto: Reprodução/TV Globo)












O acidente
Segundo a imprensa local, a aeronave com o time catarinense perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília) e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.
O Comitê de Operação de Emergência (COE) e a gerência do aeroporto informaram que a aeronave se declarou em emergência por falha técnica às 22h (local) entre as cidades de Ceja e La Unión. Anteriormente, a imprensa colombiana informou possível falta de combustível como causa do acidente. Mas a mídia local informou que o piloto despejou combustível após perceber que o avião iria cair.
Segundo a rede de TV Caracol, da Colômbia, a aeronave sumiu do radar entre La Ceja e Abejorral.
  •  
Avião da Chapecoense saiu de São Paulo ontem à noite (Foto: Reprodução/TV Globo)Avião da Chapecoense saiu de São Paulo ontem à noite (Foto: Reprodução/TV Globo)
Uma operação de emergência foi ativada para atender ao acidente. A Força Aérea Colombiana dispôs helicópteros para ajudar em trabalhos de resgate, mas missões de voos foram abortadas nesta madrugada por causa das condições climáticas. Choveu muito na região na noite de segunda, o que reduziu muito a visibilidade.
Equipes chegaram ao local do acidente por terra, mas o acesso à região montanhosa é difícil e a remoção é lenta.
Ambulância chega a hospital na Colômbia  (Foto: Reprodução/TV Globo)Ambulância chega a hospital na Colômbia (Foto: Reprodução/TV Globo)
Final de campeonato
O time da Chapecoense embarcou para a Colômbia na noite de segunda (28), para disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na quarta (30). Inicialmente, a delegação embarcou em um voo comercial de São Paulo até a Bolívia. Lá, o grupo pegou um voo da LaMia.
Em comunicado, o clube de Santa Catarina informou que espera pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana sobre o acidente.
Em seu perfil no Twitter, o Atlético Nacional lamentou o acidente e prestou solidariedade à Chapecoense: "Nacional lamenta profundamente e se solidariza com @chapecoensereal pelo acidente ocorrido e espera informação das autoridades".
O primeiro jogo da decisão, marcado para esta quarta-feira (30), foi cancelado, segundo a  Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).
O Itamaraty, pelo telefone, informou que a embaixada do Brasil em Bogotá está em contato com as autoridades colombianas para obter informações sobre o acidente. A assessoria informou que as notícias ainda chegam desencontradas.
O Ministério das Relações Exteriores vai esperar um posicionamento oficial sobre vítimas e circunstâncias do acidente para se pronunciar. Está previsto que divulguem uma nota oficial ainda agora de manhã. O embaixador em Bogotá se chama Julio Bitelli.
A companhia
A LaMia (Línea Aérea Mérida Internacional de Aviación) é uma companhia de aviação que foi inicialmente constituída na Venezuela no ano de 2009 e depois mudou sua sede para a Bolívia (Santa Cruz de la Sierra). A empresa vem sendo desenvolvida para voos não regulares (charter), com o objetivo de permitir o desenvolvimento de atividades no país e no exterior, com aeronaves de grande porte - de passageiros e de carga.
Fonte: G1
A 6ª edição da Black Friday, evento anual que traz superdescontos no setor de comércio e serviços, começou oficialmente à 0h desta sexta-feira (25). Em São Paulo, algumas lojas abriram mais cedo e os consumidores já começaram a aproveitar as ofertas durante a madrugada.

Em meio a vendas fracas no varejo durante o ano, devido à retração da economia, os organizadores do evento ainda assim esperam faturamento de R$ 2 bilhões - aumento de 30% em relação a 2015.
Clientes aproveitam as promoções da Black Friday no Extra, unidade da Ricardo Jafet em São Paulo. (Foto: REUTERS/Nacho Doce)Clientes aproveitam as promoções da Black Friday no Extra, unidade da Ricardo Jafet em São Paulo. (Foto: REUTERS/Nacho Doce)
A data já é a segunda maior do varejo em termos de vendas, só perdendo para o Natal. E a cada ano vem sendo cada vez mais antecipada - alguns varejistas começam a oferecer os descontos um mês antes da última sexta-feira de novembro. E as promoções têm sido ainda estendidas até a segunda-feira seguinte, a chamada "Cyber Monday".

A Black Friday, que nasceu no varejo tradicional, com descontos concentrados em eletroeletrônicos, eletrodomésticos e vestuário, tem se estendido a outros segmentos que entram na onda de promoções para tentar alavancar suas vendas. O setor de serviços entrou forte na data das megapromoções.

O consumidor pode encontrar, por exemplo, descontos em passagens de ônibus, manicure, pacotes de intercâmbio, seguros e acessórios para carros, imóveis, motéis, cursos preparatórios de concursos públicos, investimentos e até na compra de churros, por exemplo.

Além disso, bancos e empresas de programas de milhagem também embarcaram na onda das promoções.

Os organizadores não preveem que os descontos sejam maiores que o habitual nesta edição para fisgar o consumidor que não está comprando, já que os varejistas podem até diminuir a margem de lucro, mas não podem ter prejuízo. No entanto, o leque de produtos e de categorias oferecidos será ampliado.
As grandes redes de varejo ampliarão o horário de atendimento nas lojas durante o evento. Casas Bahia, Extra, Magazine Luiza, Pontofrio, Ricardo Eletro, Walmart e Amaricanas são algumas das empresas que terão horário estendido e até mesmo vão virar a  madrugada com as portas abertas em algumas unidades.
Produtos, finalidade e pagamento
Pesquisa realizada pela Ebit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico, mostra que os produtos com maior intenção de compra devem ser das categorias eletrônicos (34%), eletrodomésticos (28%), telefonia e celulares (27%), informática (23%) e casa e decoração (13%).
Das aquisições esperadas na Black Friday, 44% devem ser feitas com o intuito de antecipar as compras para o Natal. Além disso, 59% são para uso próprio, 24% para familiares, 14% para presente e 3% com outras finalidades.
Levantamento do Mercado Livre mostra que neste ano a maioria dos brasileiros diz estar disposta a pagar à vista se os descontos oferecidos forem agressivos. Em 2015, a mesma pesquisa mostrou um comportamento totalmente contrário. O parcelamento era a forma de pagamento mais utilizada.
Consumidor deve estar atento
Mas em meio a tantas "tentações", o consumidor deve ficar atento a possíveis maquiagens de preço, segundo os especialistas em varejo e direito do consumidor. Deve também certificar se o site em que ele vai comprar é realmente confiável e se os preços informados incluem frete e são para pagamento à vista ou a prazo. E prestar atenção ao prazo de entrega, por exemplo.
O número de reclamações na Black Friday apresentou queda de 63% no ano passado em relação a 2014, segundo levantamento do site Reclame Aqui. Foram 4,4 mil queixas, um terço do volume em 2014, quando foram registradas 12 mil. A maquiagem de preços, que consiste em subi-los antes da Black Friday para baixar no dia da promoção, liderou o ranking.
arte black friday (Foto: G1)






















































































Fonte: G1
Pivô de uma crise política que atingiu o gabinete presidencial, o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero gravou a conversa que teve com Michel Temer no Palácio do Planalto na semana passada na qual ele afirma que o presidente da República interveio em favor dos interesses do ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, para liberar uma obra em Salvador, informou o Bom Dia Brasil.
Procurado pela TV Globo, o ex-ministro disse que não pode falar desse assunto.
Em depoimento à Polícia Federal (PF) prestado na última quarta (23), Calero disse que foi "enquadrado" pelo presidente para que encontrasse uma "saída" para que fosse autorizada a continuidade da construção do condomínio La Vue, na capital baiana, no qual Geddel comprou um apartamento.
Após o depoimento de Marcelo Calero à PF vazar na imprensa, o porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, afirmou que Temer procurou o ex-ministro da Cultura para resolver o "impasse" entre ele, Calero, e o chefe da Secretaria de Governo (leia a íntegra do pronunciamento de Parola ao final desta reportagem).
Segundo o colunista do G1 Matheus Leitão, a Procuradoria Geral da República (PGR) deve pedir a abertura de investigação para apurar se o ministro Geddel Vieira Lima fez tráfico de influência ao pressionar o ex-colega da Esplanada dos Ministérios.
A PGR recebeu nesta quinta-feira (24) o depoimento que Calero prestou à Polícia Federal. O documento inicialmente foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), que o encaminhou para a análise dos procuradores da República.
A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, remeteu o depoimento à PGR antes de mandar sortear o caso para relatoria de algum dos minstros do tribunal.
Caberá agora ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, avaliar se pede autorização ao Supremo para investigar o ministro da Secretaria de Governo.
Calero pediu demissão do cargo de ministro na última sexta-feira (18) e, posteriormente, acusou Geddel de tê-lo pressionado a conceder a licença de construção do prédio de luxo localizado em um bairro nobre de Salvador, que havia sido barrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Na condição de ministro, Geddel tem direito ao chamado "foro privilegiado", ou seja, ser investigado e processado pelo STF, a mais alta Corte do país. Por isso, a investigação precisa ser autorizada por um dos 11 ministros do tribunal.
Para a PF, Geddel deve ser investigado, mas a palavra final sobre uma eventual abertura de inquérito cabe à PGR.
Comissão de Ética
Na segunda-feira (21), a Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu abrir um processo para investigar a conduta de Geddel no episódio relatado pelo ex-ministro da Cultura.
O colegiado fiscaliza eventuais conflitos de interesse envolvendo integrantes do governo, mas não tem poder para punir nenhum servidor público, apenas pode recomendar ao chefe do Executivo sanções a integrantes do governo, entre as quais demissões.
Nos últimos dias, Geddel admitiu que é proprietário de um apartamento no empreendimento, confirmou que procurou o então ministro da Cultura para tratar do embargo à obra, mas negou que tivesse pressionado Calero para liberar a construção do edifício.
La Vue (Foto: Reprodução)Projeto do condomínio La Vue (Foto: Reprodução)
A obra embargada
O empreendimento imobiliário pivô da saída de Marcelo Calero do Ministério da Cultura foi embargado pela direção nacional do Iphan em razão de estar localizado em uma área tombada como patrimônio cultural da União, sujeita a regramento especial. Os construtores pretendem erguer um prédio com 31 andares, mas o Iphan autorizou a construção de, no máximo, 13 pavimentos.
Com vista privilegiada para a Baía de Todos-os-Santos, o condomívio La Vue começou a ser construído em outubro de 2015. O metro quadrado dos apartamentos – um por andar – custa em torno de R$ 10 mil. O edifício tem apartamentos com quatro suítes de 259m² e uma cobertura chamada "Top House" de 450 m². Os imóveis no La Vue variam de R$ 2,6 milhões a R$ 4,5 milhões.
No sábado, o instituto informou que a obra foi embargada após estudos técnicos apontarem impacto do empreendimento em cinco imóveis tombados da vizinhança do condomínio: o forte e farol de Santo Antônio, o forte de Santa Maria, o conjunto arquitetônico do Outeiro de Santo Antônio (que inclui o forte de São Diogo), além da própria Igreja de Santo Antônio (leia mais sobre os argumentos do Iphan ao final desta reportagem).
Parentes
Familiares do ministro da Secretaria de Governo integram a defesa do empreendimento imobiliário de Salvador barrado pelo Iphan, no qual ele afirma ter comprado um imóvel, publicou na quarta-feira o jornal "Folha de S.Paulo".
Segundo o jornal, um primo e um sobrinho de Geddel atuam como representantes do empreendimento La Vue Ladeira da Barra junto ao Iphan.
A publicação afirmou que, em um documento anexado ao processo administrativo que tramitou junto ao Iphan, a empresa Porto Ladeira da Barra Empreendimento – responsável pelo La Vue, interditado pelo órgão ligado ao Ministério da Cultura – nomeou como procuradores os advogados Igor Andrade Costa, Jayme Vieira Lima Filho e o estagiário Afrísio Vieira Lima Neto.
Ainda de acordo com a "Folha", Jayme é primo de Geddel e também seria sócio dele no restaurante Al Mare, em Salvador. Já o estagiáriao Afrísio Vieira Lima Neto é filho do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão do ministro da Secretaria de Governo.
A procuração, informou o jornal, foi assinada em 17 de maio de 2016, cinco dias depois de Geddel assumir o comando da Secretaria de Governo.
Fonte: G1

Resultado de imagem para ricardo gomes

O São Paulo demitiu nesta quarta-feira o técnico Ricardo Gomes. 
Auxiliar da equipe, Pintado irá assumir o cargo nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro.
O anúncio da saída de Gomes foi feito por Marco Aurélio Cunha, diretor de futebol do clube, em rápido pronunciamento na sala de imprensa.
Cunha também prometeu que o novo treinador tricolor será anunciado durante a pré-temporada são-paulina, que será realizada nos Estados Unidos.
"O São Paulo Futebol Clube anuncia que teremos uma mudança no comando técnico. Ricardo Gomes e o auxiliar Luiz Otávio deixam o clube. Agradecemos o trabalho. Vamos começar novos planos dentro da nossa ideologia para 2017. O Pintado será o treinador interino para os jogos que faltam e na pré-temporada para a Flórida Cup teremos o novo treinador", disse o cartola.
Ao todo, Ricardo Gomes fez 18 jogos pelo São Paulo, com seis vitórias, cinco empates e sete derrotas - aproveitamento de aproximadamente 43%.
Ele havia assumido no dia 21 de agosto, após ser contratado do Botafogo.
Com 46 pontos, o time do Morumbi é o atual 13º colocado no Campeonato Brasileiro, sem perigo de rebaixamento e também sem chance de se classificar à Libertadores.
Confira o comunicado oficial do São Paulo:
"O São Paulo FC informa que o técnico Ricardo Gomes deixa o comando da equipe principal. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (23), após reunião no Centro de Treinamento da Barra Funda, e o treinador foi comunicado pela diretoria. O comandante encerra a sua segunda passagem pelo clube após 18 jogos.
O São Paulo comunica que terá uma mudança no comando técnico: o Ricardo Gomes deixa o clube neste momento. É o momento mais adequado para esta mudança. A partir de agora pensaremos em novos planos e rumos dentro de uma ideologia que planejamos para 2017. Para a pré-temporada, e consequentemente para a disputa da Flórida Cup, teremos um novo treinador", afirmou o diretor executivo de futebol Marco Aurélio Cunha.
Desde a sua reestreia no dia 21 de agosto, no empate com o Internacional (1 x 1), no Beira-Rio, foram seis vitórias, cinco empates e sete derrotas (42,5% de aproveitamento). Somando a sua primeira passagem, entre junho de 2009 e agosto de 2010, foram 90 partidas: 44 vitórias, 20 empates e 26 derrotas (56,2%).
Ao lado do treinador, o auxiliar Luiz Otávio também deixa o Tricolor. Desta forma, o auxiliar técnico Pintado assume interinamente o comando da equipe para os duelos com o Atlético-MG que será disputado no próximo final de semana, em Belo Horizonte, e com o Santa Cruz na rodada de encerramento do Campeonato Brasileiro de 2016.
A diretoria agradece ao treinador e deseja sorte na sequência de sua carreira."
Fonte: MSN  VIA ESPN

luciano-huck-globo-620-original.jpeg

O Caldeirão do Huck, programa apresentado por Luciano Huck aos sábados na Globo, enfrentou uma nova adversidade na tarde desta terça-feira. Durante as gravações do quadro Um por Todos, Todos por Um, em que o apresentador faz assistencialismo, uma mulher furou o cordão do isolamento e se aproximou de Huck com o pulso sangrando. Depois de desmaiar, foi levada ao hospital. Nesta terça, o programa entregou a nova estrutura da escola de música, do projeto Acordes Mágicos, no bairro Novo Mondubim.

“Na tarde da última  terça-feira, dia 22, durante a gravação de uma entrega do quadro Um por Todos, Todos por Um, do Caldeirão do Huck, em Fortaleza, uma mulher ultrapassou a grade de isolamento e, ao ser interceptada pelos profissionais de segurança que estavam no local, pediu para se aproximar de Luciano Huck, que autorizou. Ao se dirigir ao apresentador, estava com o pulso cortado e acabou desmaiando”, diz comunicado da assessoria de imprensa da TV Globo. “Ela foi prontamente socorrida pela equipe médica que acompanhava a gravação e encaminhada para o Hospital Frotinha Parangaba Maria José Barroso, onde recebeu os primeiros cuidados, e, em seguida, levada ao Instituto Dr. José Frota.”
Já Luciano Huck preferiu não comentar o incidente. Em seu perfil no Instagram, o apresentador, que neste ano encarou também o acidente do sertanejo Mariano, que abriu um corte na cabeça ao bater em um trampolim no quadro Saltibum, se limitou a dizer que teve um “dia especial” em Fortaleza, nesta terça-feira.
Fonte: MSN
A arrecadação de royalties e participações especiais sobre a produção de petróleo acumula queda de 29% no Brasil neste ano, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Trata-se do segundo ano seguido de queda (em 2015, o recuo foi de 25%), o que afeta diretamente o caixa da União, estados e municípios, contribuindo para o agravamento da crise fiscal e financeira dos governos.
A emissão de títulos com receitas futuras de royalties como garantia é uma das alternativas em discussão para socorrer o estado do Rio de Janeiro.
  •  
royalties e participações especiais (Foto: G1)

















Em dois anos, a arrecadação com royalties e participaçoes especiais encolheu cerca de R$ 14,5 bilhões. Somente em 2015, a receita total com petróleo direcionada para os governos foi R$ 8,7 bilhões menor. Veja gráfico acima
Na parcial de 2016, a arrecadação acumulada soma R$ 14,5 bilhões (R$ 9,5 bilhões com royalties até outubro e R$ 5 bilhões com participações especiais até agosto), segundo os últimos dados disponibilizados pela ANP, o que corresponde a uma diminuição de mais de R$ 5,8 bilhões na comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 20,3 bilhões).
Royalties são os valores em dinheiro pagos pelas petroleiras à União e aos governos estaduais e municipais dos locais produtores para ter direito à exploração do petróleo. Já as participações especiais são uma compensação adicional e é cobrada nos casos de  grandes volumes de produção ou de grande rentabilidade.
Menor arrecadação desde 2009
Projeção do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) estima que, considerando as atuais condições de produção, câmbio e preço do petróleo, a arrecadação total com royalties e participações especiais não chegará a R$ 19 bilhões em 2016, o que representará o menor valor nominal desde 2009, quando essa receita somou R$ 16,4 bilhões.
“A arrecadação só não foi pior porque o real se desvalorizou muito frente ao dólar de 2015 para cá”, afirma o sócio-diretor do CBIE, Adriano Pires.
Petróleo está há 15 meses abaixo de US$ 50
Os royalties dependem basicamente de 3 fatores: volume de produção, câmbio e do preço do petróleo. Este último a principal razão para a queda de arrecadação nos últimos dois anos.
Preços do barril de pétróleo Brent (Foto: G1)

Os preços internacionais do barril de petróleo que, desde 2011, estavam situados acima de US$ 100,desabaram no final de 2014 diante do excesso de oferta global. Já 15 meses seguidos de preços médios abaixo de US$ 50.
A queda de quase 20% do dólar frente ao real em 2016 também ajudou a piorar a arrecadação. "Quando o dólar estava em R$ 4 era melhor, porque cada barril quando transformado em reais, gerava mais arrecadação", explica Helder Queiroz, professor da UFRJ e ex-diretor da ANP.
Já a produção de petróleo no Brasil continua crescendo, mas a crise financeira enfrentada pela Petrobras tem forçado a estatal a revar suas projeções de expansão.
Para os especialistas, a tendência para a arrecadação de royalties continua de queda, uma vez que não há perspectiva de alta expressiva da produção ou dos preços no curto e médio prazo.
"Na minha opinião, não teremos nunca mais barril a US$ 100. É preciso entender que os royalties nunca mais vão ter o peso na receita como no passado", afirma Pires, citando a maior oferta global da commodity, as dúvidas em relação  e novos ingredientes de pressão para os preços como a promessa de campanha de Donald Trump de reduzir impostos para produtores de petróleo de xisto nos Estados Unidos.
Para Queiroz, a tendência é que a partir de 2017 a arrecadação tende a diminuir o ritmo de queda e se estabilizar. "A gente espera que o fundo do poço já tenha sido atingido. A frustração da arrecadação esperada é muito grande e isso é crise na veia, porque infelizmente passou-se a ter uma dependência muito grande de arrecadação de royalties", diz o ex-diretor da ANP, citando o caso de estados como o Rio de Janeiro.
Receita de estados com royalies e participações especiais, em R$
Estadojan-out/2015jan-out/2016
Alagoas  22.200.490,00   18.774.390,00
Amazonas 163.624.550,00  135.529.000,00
Bahia 152.312.130,00   121.551.990,00
Ceará      9.671.890,00      7.574.070,00
Espírito Santo 1.093.248.680,00  717.330.030,00
Maranhão      29.219.320,00    28.132.680,00
Paraná        4.915.170,00     3.182.090,00
Rio de Janeiro4.193.133.020,002.912.702.260,00
Rio Grande do Norte   152.511.150,00  108.030.350,00
São Paulo   643.373.970,00 630.265.150,00
Sergipe     82.785.440,00   57.800.730,00
Total6.546.995.810,004.740.872.770,00
Perdas por estados
Dos R$ 14,5 bilhões arrecadados no ano com royalties e particpações especiais, R$ 4,74 bilhões foram destinados a estados produtores e R$ 3,74 bilhões a municípios. A União ficou com R$ 5,17 bilhões e cerca de R$ 800 milhões foram direcionados a fundos especiais.
A arrecadação destinada a estados e municípios é distribuída de acordo com participação de cada um na produção total de petróleo no país, por isso em alguns casos a queda foi um pouco maior. Veja quadro ao lado
No Espírito Santo – segundo maior estado produtor – a receita com direitos do petróleo caiu 34% ou cerca de R$ 370 milhões neste ano. Já para São Paulo, a arrecadação caiu apenas 2% ou R$ 13 milhões – o estado foi beneficiado pelo aumento da produção nos campos do pré-sal da Bacia de Campos.
Para o Rio de Janeiro, a queda no ano foi de 30,5%, ou uma perda de mais de R$ 1,2 bilhão. Lá a situação é ainda mais grave porque o governo realizou no passado operações financeiras para antecipar receitas futuras dos royalties, o que faz com que a entrada de recursos no caixa do estado seja ainda menor. Segundo reportagem da GloboNews, excluindo os descontos referentes às antecipações de direitos do petróleo feitas por outros governos, a receita de royalties no ano representará, na prática, apenas cerca de R$ 100 milhões. 
Desafio para contas públicas
Para os especialistas, os estados e muncípios que hoje enfrentam um rombo em suas contas por conta da queda da receita de royalties pagam o preço de ter tratado um recurso incerto para financiar despesar essenciais e permanentes.
“Muitos estados e municípios trataram o royalty como se fosse um recurso não esgotável e com preço estável. E, às vezes, a arrecadação também cai porque um campo de produção entra em declínio", explica Queiroz.
Segundo ele, esse tipo de receita deveria ser usada prioritariamente para investimentos ou para projetos extraordinários e não para fechar as contas ou pagar gastos de custeio.
"É preciso entender que petróleo acaba. Se não acabasse, não pagava-se royalties. Essa é a grande lição para os governantes", concorda Pires.
Ele lembra ainda que se a nova lei de divisão dos royalties do petróleo não tivesse sido suspensa por decisão cautelar do Supremo Tribunal Federal (STF), o montante distribuído para os estados e municípios poderia ter sido ainda menor, uma vez que a nova proposta aumenta o repasse de dinheiro para estados e municípios não produtores.
Receitas para municípios
A arrecadação destinada aos município produtores teve uma queda um pouco menor, de 21%. A receita acumulada até outubro ficou em 3,74 bilhões, ante R$ 4,73 bilhões no mesmo período de 2015.
Entre os municípios que mais recebem royalties atualmente estão Campos dos Goytacazes, Macaé, Maricá e Ilhabela. Os dados disponibilizados pela ANP sobre municípios permitem comparar apenas os números referentes à royalties. Veja quadro abaixo
ROYALTIES DE MAIORES CIDADES PRODUTORAS, em R$
Cidadejan-out/2015jan-out/2016
Campos dos Goytacazes (RJ)342.578.164,27 244.957.826,73
Macaé (RJ)290.374.988,66 234.147.432,72
Maricá (RJ)116.452.104,87 139.684.368,54
Ilhabela (SP) 127.916.767,72 121.269.591,21
Niterói (RJ )100.560.823,50117.111.574,73
Presidente Kennedy (ES) 100.370.158,23 78.401.722,21
Rio das Ostras (RJ)95.305.738,48  69.334.853,06
Cabo Frio (RJ)96.432.526,48 68.367.184,52
Itapemirim (ES) 77.128.941,19 64.134.917,02
São João da Barra (RJ) 78.502.105,04    58.003.360,17
Segundo o CBIE, os mais afetados foram pela queda na arrecadação foram aqueles ligados aos campos produtores da Bacia de Campos, no RJ e ES, cuja produção e rentabilidade caíram de forma acentuada em razão do declínio e esgotamento de alguns poços. Esses municípios perderam ainda mais na conta de participações especiais, que incidem apenas quando há grande produtividade.
"Em 2009, a arrecadação de royalties era praticamente igual a de participação especial. Cidades como Macaé ganhavam muito. Hoje, recebem praticamente zero de participação especial", explica Adriano Pires.
Dados da ANP mostram que a arrecadação total com royalties no acumulado deste ano caiu 18% na comparação com um ano antes, enquanto que a receita com participações especiais recuaram 48%. Veja gráfico mais abaixo
O que pode fazer a arrecadação subir?
Para os analistas, é difícil imaginar um retorno do preço do barril de petróleo a patamares acima de US$ 70 no curto e médio prazo.
O mercado aguarda com expectativa que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) possa fechar no final deste mês um acordo para cortar a produção e reduzir um excesso de oferta global. Um esboço do acordo foi fechado em setembro, mas as negociações ainda tem se mostrado difíceis.
“A briga por market share (participação de mercado) é muito dura, então há entre os produtores temor de cortar a produção e depois não conseguir voltar no mesmo nível de participação”, explica Queiroz.
No seu plano de negócios, a Petrobras prevê elevar a produção total de 2,62 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) em 2017 para 3,41 milhões de barris por dia em 2021.
Já o governo federal aposta na mudança no marco regulatório do pré-sal, que desobrigou a Petrobras de participar de todos os contratos no setor, para acelerar o ritmo de novos leilões e destravar os investimentos no setor.
"Como tem muito reserva do pré-sal que já foi encontrada, acontecendo novos leilões ano que vem, é possível ter nova produção entrando em 5 anos", diz Pires.
Arrecadação com participações especiais (Foto: G1)
Fonte:G1