Na próxima terça-feira (8), o entorno da Arena Castelão terá um esquema de trânsito especial devido a partida entre o Ceará e o Bragantino. Automóveis serão proibidos de estacionar nas avenidas Alberto Craveiro Paulino Rocha eRua do Contorno, a partir das 13h.
Obras no entorno do Castelão são motivo de desvios no trânsito FOTO: Helosa Araújo/Arquivo/29.07.2013
Os torcedores que vão assistir ao jogo pelaSérie B do Campeonato Brasileiro devem trafegar pelas avenidas Paulino Rocha, Juscelino Kubitschek e Alberto Craveiro. Os condutores que optarem ir pela Av. Dedé Brasil vão enfrentar alguns desvios, devido às obras de construção de um túnel sob a rotatória do Castelão.
Os desvios na Dedé Brasil são: à direita na Av. Heróis do Acre, esquerda na Av. Prudente Brasil, esquerda na R. Eldorado e esquerda na Av. Juscelino Kubitschek.
Um efetivo de 40 agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC) vão estar no local para orientar os motoristas até o final da partida, de acordo com o órgão.
As três garotas que assaltaram e esfaquearam na Praia do Futuro, no último sábado (5), a médica Larissa Costa Amorim, de 23 anos, foram apreendidas no começo da tarde desta segunda-feira (7). As adolescentes de 11, 13 e 14 anos foram encontradas na comunidade da Praia do Futuro e encaminhadas para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).
Em depoimento, a menina de 14 anos confessou ter esfaqueado a médica e disse que ao deixar a delegacia cometeria outros crimes. A ação aconteceu no último sábado quando Larissa deixava uma confraternização em uma barraca na Praia do Futuro. Ao se aproximar do seu carro, ela foi atacada e teve duas perfurações nas costas.
A médica foi socorrida por amigos e levada ao Hospital Regional da Unimed (HRU) onde passou por cirurgia. O estado de saúde de Larissa é estável e ela não corre risco de morte.     
Com informações da repórter Márcia Feitosa do DN

A presidenta Dilma Rousseff disse que assim que for aprovado pelos parlamentares, o projeto do Marco Civil da Internet no Brasil será enviado como proposta à Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa foi divulgada no último domingo (6) pela presidente na rede social Twitter. Ela se mostrou confiante na aprovação do projeto nas “próximas semanas”.
Dilma tem demonstrado indignação quanto às acusações de espionagem americana. Foto: Agência Reuters
No último dia 24, Dilma participou da abertura da 68ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York (Estados Unidos), em que criticou a espionagem de cidadãos e autoridades, como a promovida por agências norte-americanas, e defendeu a adoção de medidas que impeçam essas ações. Para ela, é essencial a criação de uma governança global para a internet.
“Nossa proposta para um marco civil internacional será enviada à ONU assim que nosso marco civil for aprovado. A votação do nosso projeto deve ocorrer nas próximas semanas. Enviei ao Congresso um novo Marco Civil da Internet, iniciativa que irá ampliar a proteção da privacidade dos brasileiros”, disse a presidenta.
Dilma reiterou sua indignação com a espionagem de dados privados de brasileiros. “Denunciei o caso na ONU em defesa dos direitos humanos e de nossa soberania. Exigimos explicações e mudanças de comportamento por parte dos americanos”, lembrou no Twitter.
A presidenta também se referiu ao livro The Shadow Factory: The Ultra-Secret NSA from 9/11 to the Eavesdropping on America, do jornalista James Bamford, sobre o sistema de espionagem norte-americano. Segundo Dilma, o livro mostra os métodos de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (cuja sigla em inglês é NSA).
O livro é de 2008. "[O livro] mostra o que vem ocorrendo há mais  tempo e o que apareceu agora: espionagem a cidadãos brasileiros [inclusive eu], companhias e ministérios”, disse Dilma no Twitter. “Relata  a terceirização desse serviço de inteligência, com a contratação de milhares de empresas  e trabalhadores”, acrescentou.
Um protesto que acontece desde o início da manhã desta segunda-feira (7) na rua Doutor Luiz Migliano, no Morumbi, zona oeste de São Paulo, deixou ao menos quatro pessoas feridas, segundo os próprios manifestantes. Dentre os que estão em estado grave está uma criança de apenas 11 anos.
Um veículo que estava abandonado na via foi tombado e colocado junto com a barricadamontada durante o protesto para fechar a rua. Em seguida, ocorreu uma explosão que feriu as pessoas que estavam próximas ao local.
Feridos estão internados em estado grave; criança teve queimaduras
Dois dos feridos no protesto estão internados com queimaduras e o estado de saúde deles é considerado grave.
De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, as vítimas estão internadas no Hospital do Campo Limpo. Uma das vítimas graves tem apenas 11 anos e a outra 36 anos. Os nomes dos pacientes não foram divulgados pela secretaria. Além dos dois pacientes em estado grave, há outro paciente de 31 anos que está internado com queimaduras. O quadro dele é considerado estável.
O dono de um lava-rápido, Flávio de Jesus, 22, teve um corte no supercílio ao ser atingido por estilhaços. Ele conta que ajudava os outros manifestantes a empurrar uma caçamba quando ocorreu a explosão. "Fiquei desesperado porque pegou todo mundo de surpresa. Depois do clarão só senti meu rosto sangrando", disse.
De acordo com a PM, cerca de cem pessoas atearam fogo em pneus e lixo e fizeram uma barricada na rua impedindo a circulação de veículos nos dois sentidos.
Um dos líderes do protesto, o assistente social Flávio Rodrigues, 27, diz que a via só será liberada quando alguém da prefeitura for até o local negociar com os manifestantes.
Segundo ele, a prefeitura não paga há dois meses o auxílio-aluguel de 150 famílias. De acordo com Rodrigues, essas famílias ficaram sem ter onde morar após a comunidade Vila Praia ser atingida, em 2010, por um incêndio.
A reportagem ainda não conseguiu contato com alguém da prefeitura para falar sobre o suposto atraso no pagamento.

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) vai pedir ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a suspensão da determinação de continuidade das obras de construção do viaduto entre as avenidas Engenheiro Santana Júnior Antônio Sales, no Cocó.

Procurador Oscar Costa Filho citou a própria portaria da SPU como embasamento para pedido de suspensão das obras junto ao STJ Foto: JL Rosa

A informação foi divulgada nesta segunda-feira (7), em coletiva de imprensa, pelo procurador da República, no Ceará, Oscar Costa Filho. De acordo com ele, o pedido será feito com base na "Portaria nº 32 da Secretaria do Patrimônio da União, que exige para o início da obra a comprovação do licenciamento ambiental, coisa que eles (a Prefeitura de Fortaleza) não têm".

Ainda segundo Costa Filho, o MPF  vai enviar, "paralelamente, uma requisição à Polícia Federalde inquérito pela prática de desacato, contra a nossa pessoa, no exercício da função pública, na última sexta-feira (4), por ocasião da desocupação". O procurador acusa a um grupo pró-viaduto de agredir, moral e fisicamente, a ele, ao vereador João Alfredo (Psol) e a um manifestante.

"Essas mesmas pessoas estão agindo de forma orquestrada e em todos os acontecimentos no Cocó, incitando a violência e desqualificando manifestantes e autoridades constituídas. Temos imagens. Precisa também haver uma apuração da responsabilidade das autoridades policiais que se afastaram do local onde ocorreram essas agressões", denunciou. O procurador chegou a apresentar vídeos que comprovariam o desacato.

Vereador pede à SPU cancelamento de autorização de obras
Na mesma coletiva convocada pelo MPF, o vereador João Alfredo apresentou à imprensa, um ofício solicitando o cancelamento dos efeitos da portaria que autorizou o seguimento das obras do viaduto na área do Parque do Cocó.

O documento foi encaminhado, por ele e pela correligionária Toinha Rocha, ao superintendente do Patrimônio da União no Ceará, Jorge Luiz Oliveira de Queiroz, no último dia 30 de setembro. O parlamentar também denunciou ter sofrido agressões verbais de pessoas não-identificadas e posicionadas pró-viaduto e criticou o que chamou de militarização da Guarda Municipal. 

A coletiva reuniu ainda a deputada oposicionista Eliane Novais (PSB) e as representantes do movimento Crítica Radical, Rosa da Fonseca e Maria Luiza Fontenele, que se pronunciaram contra outros empreendimentos previstos para a Zona de Proteção Ambiental (ZPA) e pediram a legalização do Parque do Cocó.

Desocupação no Cocó foi marcada por confronto
A desocupação da área no Parque do Cocó prevista para a construção de um viaduto, na última sexta-feira (4), foi marcada pelo confronto entre policiais militares e guardas municipais, de um lado, e por manifestantes contrários à obra, do outro. 

A ação foi tomada após determinação do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5)ao juiz Kepler Ribeiro, da 6ª Vara da Justiça Federal no Ceará, para o cumprimento da ordem de reintegração de posse à Prefeitura de Fortaleza, ratificando decisão do dia 26 de setembro. 

Nos conflitos, um repórter do Diário do Nordeste foi atingido por bala de borracha. O fato foi lamentado pelo governador Cid Gomes, apoiador do prefeito Roberto Cláudio, durante solenidade em Canindé. No dia seguinte, à desocupação, o poder municipal retomou as obras, previstas para serem concluídas em doze meses.

Já no domingo (6), houve novo confronto, após tentativa de um grupo de ativistas reocupar a área em que acamparam por cerca de dois meses. Um guarda municipal foi ferido e um manifestante, identificado como agente do próprio órgão, foi detido.

Em uma ação das forças de operação especiais americanas em Trípoli, na Líbia, foi preso neste sábado um membro da Al Qaeda suspeito de ser responsável por atentados a embaixadas dos EUA em 1998.
Segundo a rede CNN, Abu Anas al Libi foi preso em Trípoli numa operação de "captura" que teria o consentimento do governo líbio. Ao "New York Times", um funcionário do governo americano disse que ação foi "pacífica".
O membro da Al Qaeda era procurado --com recompensa de US$ 5 milhões-- por ter supostamente planejado os ataques com bomba nas embaixadas dos EUA em Dar es Salaam, na Tanzânia, e em Nairóbi, no Quênia, em 7 de agosto de 1998.
Al Libi, 49, foi acusado, em 2000, de conspiração para matar cidadãos americanos, assassinato e destruição de propriedades do governo e de instalações de defesa nacional.
O militante, cujo nome real é Nazih Abdul-Hamed al-Ruqai, nasceu em Trípoli e se juntou à rede de Osama Bin Laden no início dos anos 90, no Sudão. Mais tarde, ele se mudou para o Reino Unido, onde recebeu asilo político como dissidente líbio.
Acredita-se que ele não tenha desempenhado qualquer papel no ataque de setembro de 2012 contra a missão diplomática americana em Benghazi, que matou quatro pessoas, entre elas o embaixador Christopher Stevens.

SOMÁLIA

Em outra operação realizada neste sábado, uma equipe da elite da Marinha americana (conhecida sob a sigla em inglês Seal) realizou um ataque contra um dos líderes do grupo radical muçulmano Al Shabaab, responsável pelo atentado em um shopping no Quênia que deixou ao menos 67 mortos no fim de outubro.
Segundo o "New York Times", o governo americano acredita que o líder do grupo ligado à Al Qaeda tenha morrido na ação --o que não pôde ser confirmado antes de os militares deixarem o local.
O ataque, que vinha sendo planejado há dez dias, ocorreu na madrugada deste sábado em uma vila litorânea junto à cidade de Baraawe, na Somália.
Os membros das forças especiais chegaram à casa do líder --cujo nome não foi revelado-- pelo mar, atirando. O tiroteio teria durado mais de uma hora, segundo testemunhas.
Por ser muito arriscado, este tipo de ação é raro e indica que o alvo era considerado uma "prioridade".
Este foi o maior ataque de tropas americanas em solo somali desde o assassinato de Saleh Ali Saleh Nabhan, também líder do Al Shabaab e ligado à Al Qaeda, em 2009.
Uma fonte do governo somali disse ao jornal que seu país havia sido informado antes do ataque. Um porta-voz do grupo radical disse apenas que um de seus integrantes foi morto num tiroteio.
O pontífice pediu aos católicos que se inspirem no modelo de São Francisco, que viveu na pobreza
Roma. O papa Francisco defendeu ontem, ao chegar em Assis (Umbria, centro da Itália), cidade do santo que inspirou a escolha de seu nome, uma igreja solidária com os deficientes e as pessoas marginalizadas, um dia depois da morte de centenas de imigrantes em Lampedusa.

O religioso condenou também "o espírito mundano" que chamou de "lepra, câncer da sociedade, que mata a Igreja" FOTO: REUTERS

"Hoje é um dia de lágrimas", disse o papa sobre o naufrágio, que deixou pelo menos 130 mortos e 200 desaparecidos.

"Ao mundo não importa se as pessoas devem fugir da escravidão, da fome, buscando a liberdade", lamentou o pontífice em São Francisco de Assis.

O papa pediu aos católicos que se inspirem no modelo de São Francisco, que abriu mão de todos os bens e viveu na pobreza. Na sala onde o santo se despojou no século XIII das vestes de jovem rico até ficar nu, o pontífice se reuniu com os pobres para pronunciar um discurso sobre a necessidade de austeridade dentro da Igreja, à qual deseja que seja "pobre e para os pobres".

Para o franciscano, a pobreza é a chave para alcançar a reforma da milenar entidade, que é atingida por escândalos e pela falta de vocações.

O religioso condenou também "o espírito mundano" que chamou de "lepra, câncer da sociedade, que mata a Igreja". "O cristianismo sem a cruz, sem Jesus, é como uma padaria, um lindo bolo", completou.

Francisco visitou Assis pela primeira vez para rezar diante do túmulo do santo italiano com o qual se identifica e para denunciar a pobreza e a fome no mundo. A visita que durou 10 horas, de grande valor simbólico, permitiu que o papa desenvolvesse suas ideias sobre o desejo de construir uma igreja simples.

Na primeira visita do dia, ao Instituto Católico de Atendimento aos Deficientes Físicos e Menatis Serafico, ao pé do monte Subiaco, o papa saudou 80 pacientes, um a um, com palavras e gestos de carinho.

No dia que foi de luto na Itália após a tragédia com os imigrantes africanos em Lampedusa, o sumo pontífice pediu aos cristãos que reconheçam as feridas de Jesus em toda pessoa que é "a carne de Cristo".

O jesuíta aproveitou sua visita à cidade do santo italiano que inspirou o nome de seu pontificado para pedir a paz no mundo, condenar a violência, as guerras e os conflitos que atingem a Síria e o Oriente Médio.

"Ouçam o grito dos que choram, sofrem e morrem devido à violência", afirmou durante uma concorrida missa celebrada na praça em frente à Basílica de São Francisco.

"Te pedimos, Francisco, que nos ensine a ser instrumento da paz", suplicou o Papa diante de 100.000 peregrinos, entre eles o primeiro-ministro italiano, Enrico Letta.

"Que cessem os conflitos armados que ensanguentam a terra na Síria e no Oriente Médio", clamou o pontífice.

A partir de um altar de madeira, cercado por vários bispos e por oito cardeais que o assessoram na reforma da Igreja, o papa reiterou seu pedido pela paz e pela harmonia no mundo.

Ontem, por ocasião da festa do padroeiro da Itália, o papa ilustrou os valores de São Francisco, que viveu na pobreza, convertendo-se também em símbolo da paz. "O homem está convocado a proteger o homem: que o homem esteja no centro, e não os ídolos que criamos", disse. 

Desde 24 de setembro até o fim da tarde deste sábado (5), 46 deputados e dois senadores migraram de legenda. Pela legislação eleitoral, este sábado é o último dia para que os parlamentares que desejam disputar a eleição no próximo ano troquem de partido.
De acordo com a Mesa Diretora da Câmara, o Solidaridade (SDD) recebeu 21 deputados, e o Pros, 13. Os dois partidos tiveram a criação autorizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no último dia 24. Segundo a Secretaria-Geral da Mesa, dois deputados que migraram para o SDD estão licenciados e 19 estão em exercício.
Em seguida vêm PP, com quatro deputados, e PSB, com dois. PMDB, PSDB, DEM, PR e PSDganharam, cada um, um deputado. A Secretaria-Geral da Mesa Diretora não forneceu à Agência Brasil a relação dos nomes e dos partidos de origem dos deputados.
De acordo com a Mesa Diretora da Câmara, o levantamento ainda não é definitivo porque parlamentares que registraram a filiação na Justiça Eleitoral podem comunicar a troca de legenda à Casa no início da próxima semana. A Secretaria-Geral da Mesa funcionou em esquema de plantão até as 18h30 de hoje para registrar a troca de partidos.
No Senado, foram registradas duas mudanças de partido. A senadora Kátia Abreu (TO) trocou o PSD pelo PMDB e o senador Vicentinho Alves, também do Tocantins, saiu do PR e foi para o SDD.

Após desocupação no Parque do Cocó na tarde de sexta-feira, o prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio esteve, na manhã deste sábado (5), verificando a retomada da obra dos viadutos no local. Roberto Cláudio anunciou que em 15 dias desvios serão feitos no cruzamento das avenidas Antônio Sales e Engenheiro Santana Jr.
Roberto Cláudio informou que a obra para construção dos viadutos será concluída em 12 meses. FOTO: KIKO SILVA
Conforme Roberto Cláudio, vias alternativas laterais, no entorno do Colégio 7 de Setembro e na lateral do supermercado Frangolândia, serão implantadas por etapas. "Estamos fazendo a programação por etapas, como os túneis da Via Expressa". Na próxima terça-feira (10), a Prefeitura fará uma coletiva para anunciar o cronograma completo dos desvios de tráfego no cruzamento da avenidas Antônio Sales e Engenheiro Santana Jr.
A obra já reiniciada na sexta-feira após a desocupação teve continuidade neste sábado, com a limpeza do terreno, a retirada de grades e calçadas e a terraplanagem definitiva. Segundo Roberto Cláudio, a obra será concluída em 12 meses. Para isso, o tempo entre as fases dos desvios será encurtado. "Isso nos fará ganhar tempo. Trará um incômodo a mais para o fortalezense, será um pouco mais de tempo desse cruzamento fechado, mas, ao mesmo tempo, ganharemos tempo de obra", explicou. Segundo o prefeito, na próxima semana, serão colocadas estacas na Avenida Antônio Sales para servir de suporte ao primeiro viaduto que seguirá em curva na avenida dobrando na Santana Jr. à esquerda.
A partir de segunda-feira (7), segundo secretário de Infraestrutura de Fortaleza Samuel Dias, durante o primeiro momento das obras, será feita a remoção da primeira camada do solo, pois essa não tem sustentação. Em seguida uma nova camada será colocada no local na mesma altura da pista e as cercas de proteção serão recolocadas. Por último, será feita a demolição da calçada daquela área.
Polícia retira manifestantes, e obras no Cocó são liberadas
O prefeito avaliou como positiva a ação de desocupação dos acampados há mais de dois meses no Parque do Cocó, mas lamentou não ter acontecido de forma negociada por parte dos manifestantes. "Esperava que com a ordem da Justiça Federal pudesse ter acontecido de forma negociada. Infelizmente, não houve essa sensibilidade por parte dos manifestantes". Roberto Cláudio elogiou o "trabalho responsável e competente" por parte da Polícia que, segundo ele, não gerou traumas e risco à vida dos manifestantes.


O prefeito Roberto Cláudio (PROS) intercedeu junto à bancada do PTdoB para que a presidência da legenda aceitasse o retorno do vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB) ao partido. O parlamentar havia se desfiliado da legenda, na intenção de se filiar ao PROS, no entanto, teve seu ingresso rejeitado pelo novo grêmio, a pedido do ex-deputado federal, Ciro Gomes.
Durante todo o dia de ontem, Leonelzinho procurou aderir a outras siglas, mas em vão. Procurou ingressar no Solidariedade, mas a direção provisória do partido também rejeitou sua entrada, visto que um de seus desafetos, o deputado estadual Fernando Hugo, havia ingressado recentemente no grupo.
Na noite dessa quinta-feira, depois de uma reunião com Roberto Cláudio, que terminou somente às 22 horas, Paulo Facó e John Monteiro, acataram a decisão de retorno do vereador para a sigla novamente. Os dois haviam dito que, caso Leonelzinho retornasse ao PTdoB eles sairiam. A agremiação também retorna, depois de quatro meses afastadas da atual gestão, a fazer parte da base aliada do prefeito.
De início, havia um acordo entre Paulo Facó, que hoje é deputado estadual, com os dois vereadores do PTdoB na Câmara Municipal. Ele, Facó, disputaria uma vaga na Câmara Federal, enquanto os ouros dois a uma vaga na Assembleia Legislativa. Leonelzinho, no entanto, quebrou o acordo e decidiu lançar candidatura também a deputado federal. Agora, depois de toda a confusão ocasionada por Alencar, ele e Facó irão ser candidatos a deputado federal pelo PTdoB, enquanto John Monteiro vai tentar uma vaga de deputado estadual.


Motoristas e cobradores de vans que cobrem as linhas de transporte alternativo em Fortalezacogitam entrar em greve a partir de 0h da próxima segunda-feira (7). Os trabalhadores reivindicam da Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Passageiros do Estado do Ceará (Cotraps), que dirige o transporte alternativo da Capital desde o fim de 2012, diversas demandas, dentre elas a assinatura da carteira de trabalho de todos os profissionais da categoria, pagamento de horas extras pendentes, além de banheiros no fim das linhas e mais segurança para motoristas, cobradores e fiscais.
Categoria informou que aguarda o prazo de 72 horas para aderir a greve Foto: Arquivo
Segundo o presidente do Sindicato dos Empregados em Transporte Alternativo de Fortaleza (Sintraafor), Valdênio Aguiar, a Cotraps está descumprindo acordo coletivo realizado em assembleia entre sindicato e cooperativa. "Eles nos pagaram as horas extras devidas no mês de agosto. Já no mês de setembro, não pagaram as horas extras e ainda descontaram o que haviam nos pago em agosto, alegando que houve um erro no pagamento. A cooperativa também não está nos dando o valor de R$ 40 do fundo de caixa, para que possamos ter troco para passar no início das viagens. Além disso, eles foram obrigados pelo Ministério Público a assinar a carteira de todos os trabalhadores, mas, até o momento, ainda não assinaram a carteira de todos", disse, alegando que, de 1280 trabalhadores, apenas 600 estão trabalhando com carteira assinada.
Ainda de acordo com Valdênio Aguiar, o movimento grevista está seguindo todos os trâmites legais. "Já publicamos nosso edital em jornais de grande circulação, já comunicamos a situação a Etufor e agora estamos aguardando o prazo de 72 horas. Se a Cotraps não pagar o que nos deve, nem resolver os nossos problemas internos, iremos paralisar nossas atividades na meia noite de segunda-feira", afirmou.
Cooperativa desconhece dívida e diz que precisa de tempo para atender demandas
O diretor financeiro da Cotraps, João Alfredo, disse que o dinheiro que foi descontado dos trabalhadores no mês de setembro foi fruto de um pagamento errado efetuado no mês anterior. "A acusação de que fizemos um desconto arbitrário no salário deles é totalmente infundada. Na verdade, o que houve foi um valor pago a mais em horas extra que, no mês passado, acabou gerando este desconto", explicou.
O diretor da cooperativa se diz tranquilo com a situação e diz que o grupo insatisfeito é apenas uma minoria. "É apenas um pequeno grupo querendo atrair atenção. Uma pequena fatia. Mas nós (Cotraps) estamos tranquilos, pois temos todos os comprovantes de que estamos pagando tudo corretamente", disse.

A assessoria de comunicação da cooperativa também falou sobre as outras demandas pleiteadas pelos trabalhadores. Segundo o órgão, a Cotraps está passando por um processo de adequação, pois só passou a gerir a categoria no final do ano passado. A entidade reconhece que existem problemas com alguns banheiros, mas diz que tudo será resolvido e pede apenas um pouco de paciência dos topiqueiros.
Com relação ao problema dos trabalhadores sem carteira assinada, a assessoria afirma que os trabalhadores de 7 das 16 linhas de transporte alternativo já estão com a documentação e que,até dezembro, toda a categoria estará regularizada.

Bisavó enterra criança viva no quintal de casa em Nova Iguaçu, na Baixada FluminenseO bebê enterrado pela bisavó, Igor (Crédito: Evelyn Moraes/Rádio Globo )

    Policiais militares do Batalhão de Mesquita (20º BPM), na Baixada Fluminense, foram acionados nesta quarta-feira para socorrer um bebê em Nova Iguaçu, depois que a bisavó dele, Maria da Salete Ramos, de 60 anos, enterrou a criança viva no quintal de casa. Segundo a PM, a mulher agrediu Igor Fraga do Nascimento, de apenas um mês, cavou um buraco e enterrou o bebê. A mãe da criança, uma adolescente de 14 anos, deu falta do filho e conseguiu salvá-lo.
    Maria da Salete, que estava aparentemente alcoolizada, contou na delegacia de Comendador Soares, em Nova Iguaçu, que ouviu uma voz que a deixou atordoada. Com isso, ela resolveu se livrar do menino. A tia-avó de Igor, Elizete Fraga, contou como a família descobriu que o bebê estava enterrado.
    — Vimos o bebê no quintal e a Maria de Salete disse que estava plantando tomate. Ele estava respirando bem fraco e todo roxo. Tiramos o Igor de lá e levamos para o hospital — afirmou Elizete. — Ela já tinha agredido meu filho, que é especial, mas a gente não imaginava que faria isso com um recém-nascido. A mãe do Igor já sabia que ela era doente — completou.
    A avó de do bebê, Arlete Areias Fraga, contou que a bisavó de Igor toma remédios controlados e é alcoólatra. Ela afirmou que tomou a iniciativa de chamar a polícia para prender a própria mãe.

    — Eu liguei para o 190 [telefone da polícia]. É minha própria mãe, mas é crime. Eu quero justiça — disse Arlete.
    Igor foi levado para o Hospital da Posse, também em Nova Iguaçu, onde está internado na UTI infantil em estado grave.
    Fonte: Radio Globo, Reporter Evelyn Moraes

    Do G1 CE

    PRF apreendeu comprimidos, drogas, balança de precisão e máquina de cartão de crédito (Foto: PRF/Divulgação)PRF apreendeu comprimidos, drogas, balança de precisão e máquina de cartão de crédito (Foto: PRF/Divulgação)
    A Polícia Rodoviária Federal (PRF-CE) prendeu nesta quinta-feira (3) um homem suspeito de tráfico de drogas em Sobral, na Região Norte do Ceará. Durante uma fiscalização de rotina, uma equipe da PPF  abordou, noquilômetro 230 da BR-222, em Sobral, um veículo que seguia em alta velocidade. Ao fazer a revista no veículo, conduzido por um homem de 26 anos, os agentes encontraram papelotes de cocaína, uma pistola 380, munição e dinheiro.
    O homem foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil, onde foi constatado que se tratava de um comerciante do município de Tianguá, dono de um estabelecimento comercial no distrito de Queimadas, próximo ao posto da Secretaria da Fazenda. Dois funcionários, um de 31 anos e outro de 46 anos, confessaram a venda de drogas e comprimidos de 'rebite' no local, droga usada por alguns caminhoneiros para se manterem acordados durante longas viagens.
    No comércio irregular havia também uma balança de precisão, usada para pesar drogas, segundo a PRF. Os funcionários da loja disseram aos agente que as drogas eram vendidas inclusive no cartão de crédito. Cada papelote de cocaína estaria sendo vendido por R$ 40 reais.
    Além disso, havia no local um criadouro irregular de pássaros, o que foi comunicado ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA). Os três homens foram presos em flagrante e os dois funcionários foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Sobral, onde o comerciante já está detido.

    
‘Como perder uma fortuna de US$ 34,5 bilhões em um ano’, ironiza capa da revista
Foto: Reprodução internet
    ‘Como perder uma fortuna de US$ 34,5 bilhões em um ano’, ironiza capa da revistaREPRODUÇÃO INTERNET

    Como perder uma fortuna de US$ 34,5 bilhões em um ano’. A frase, impressa sobre uma foto de Eike Batista, estampa a capa da edição desta semana da revista Bloomberg Businessweek. A matéria narra a trajetória do empresário brasileiro desde o otimisom que envolvia sua petroleira OGX até a crise que atingiu a empresa, desestruturando o grupo EBX.
    A longa reportagem, cujo tom irônico é dominante, aborda detalhes do império construído, da ascensão à queda do empresário - que se negou a dar entrevistas para a publicação sobre a crise. O uso da letra X, por exemplo, símbolo da multiplicação dos seus negócios, é destacado.
    "Sugere-se que o papa Francisco, que planeja voltar ao Brasil em breve, visite novamente os pobres, incluindo Batista", afirma o texto.


    O Congresso dos Estados Unidos foi fechado nesta quinta-feira (3) por 40 minutos após a informação de que foram disparados tiros do lado de fora da sede do Legislativo americano. De acordo com a polícia, pelo menos um agente foi atingido pelos disparos. 
    Prédio foi fechado após tiroteio FOTO: Reuters 
    Segundo a Polícia Legislativa, que controla a segurança no prédio, os tiros foram ouvidos próximo ao prédio Hart, um dos anexos do Congresso, por volta das 14h30 locais (15h30 em Brasília). Em seguida, funcionários, jornalistas e turistas foram retirados do complexo.
    Os parlamentares foram mantidos dentro dos prédios anexo e do Congresso. O deputado republicano Gerry Connolly afirmou ter ouvido duas rajadas vindo de um anexo. "Foram duas rajadas rápidas e muito altas. Foi quando eu vi as pessoas vindo e percebi que não eram fogos de artifício."
    Alguns senadores afirmaram que ouviram entre quatro e seis disparos. Ainda não há informações sobre quem fez os disparos, assim como se há mais feridos na ação. A polícia busca o responsável pela ação, mas a área do Congresso foi reaberta por volta das 15h10 (16h10 em Brasília).
    Os disparos são registrados duas semanas após outro ataque a tiros dentro do Washington Navy Yard, área de Washington que concentra diversas instalações da Marinha. Pelo menos 12 pessoas morreram quando um prestador de serviços abriu fogo em um dos prédios.
    Os tiros interromperam as discussões para dar fim ao impasse no Congresso americano que provocou a paralisação da administração federal americana a partir da 0h da última terça em Washington (1h em Brasília).
    O projeto do Orçamento, que começaria a valer há dois dias, não foi votado pela Câmara devido à resistência dos republicanos em aprovar a lei de reforma da saúde de Obama, conhecida comoObamacare.
    Uma briga envolvendo a apresentadora de TV Luize Althenholfen, seu pitbull, Ring, e seu vizinho, o dentista Eudes Gondin Junior, pode ser responsável por tirar do ar o Facebook no Brasil. Junior pediu na justiça a remoção de posts da apresentadora que o criticavam - o pedido foi aceito, mas a rede social não cumpriu a decisão.
    O dentista havia acusado o cachorro de Luize de ter avançado contra seu filho de três anos. A apresentadora, revoltada, desabafou no seu perfil no Facebook - segundo ela, o dentista é que atacou o cachorro por causa de um xixi na calçada.
    Editora Globo
    A apresentadora, em sua foto de perfil no Facebook (reprodução)
    O desabafo na internet provocou uma ação judicial. Junior pediu para que o Facebook removesse os posts da apresentadora. A Justiça aceitou. Isso foi em junho - mas um mês depois o Facebook avisou que não cumpriria a ordem, pois o site é gerenciado nos EUA e na Irlanda.
    A resposta desagradou o juiz Régis Rodrigues Bonvicino, da 1ª Vara Cível de São Paulo. “A afirmação (...) é uma desconsideração afrontosa à soberania brasileira. É uma desconsideração afrontosa agravada pela notória espionagem estatal, oficial, do governo americano”. Ele determinou que o Facebook tem 48 horas para remover o conteúdo - contadas a partir de quarta-feira, 2, para remover as publicações. Se isso não acontecer, toda a rede social poderá ficar fora do ar no País.
    “Ao desobedecer uma ordem judicial, [o Facebook] afronta o sistema legal de todo um país. O Facebook não é um país soberano superior ao Brasil”, afirmou o juiz. “Decorrido o prazo, oficie-se a Embratel, Telefônica, Vivo, Globalcross, Level 7, Brasil Telecon para que bloqueiem todos os IPs do domínio Facebook.com nos cabos Americas I, Americas II, Atlantis II, Emergia SAM I, Globalcrossing, Global Net, Unisur, colocando uma página com este despacho em todas as suas páginas visando a esclarecer seus usuários”, diz a decisão.
    Em nota, o Facebook diz que sua política é “cumprir ordens judiciais para bloqueio de conteúdo desde que tenha a especificação do conteúdo considerado ilegal”.

    A Federação Única dos Petroleiros (FUF) informou que a adesão à greve de 24h programada para esta quinta-feira, dia em que a Petrobras completa 60 anos, está em cerca de 80% nas unidades que operam em turnos (plataformas, terminais) e 50% nos prédios administrativos.
    A Petrobras não soube informar imediatamente se as plataformas da empresa haviam sido afetadas pela greve. FOTO: FABIANE DE PAULA
    De acordo com o coordenador da Fup, João Antônio de Moraes, o protesto tem como principais motivações a luta contra o Projeto de Lei 4.330, o chamado projeto de lei da terceirização; a suspensão do leilão do campo de Libra, o primeiro do pré-sal que será leiloado; e o dissídio da categoria, até hoje sem resposta da direção da Petrobras.
    Segundo Moraes, a categoria é uma das mais afetadas pela terceirização de funcionários. Dados da Fup informam que profissionais terceirizados têm 5,5 vezes mais chance de morrer em um acidente de trabalho do que os efetivos no setor do petróleo. Moraes informou que a greve de hoje não tem por objetivo parar a produção da estatal, apenas marcar a posição dos trabalhadores em relação a essas três questões.
    Na parte da tarde, um "showmício" será realizado na Praça XV, Centro do Rio, com a presença da cantora Beth Carvalho. "A greve está forte e vamos continuar protestando, mas com festa porque o nosso povo é assim, comemora protestando", afirmou.
    Reivindicação
    A categoria está reivindicando 5% de aumento real pelo dissídio de setembro e a suspensão imediata do leilão de Libra, que segundo a Fup, deveria ser entregue direto à Petrobras.
    A Petrobras não soube informar imediatamente se as plataformas da empresa haviam sido afetadas pela greve e também não comentou os protestos dos trabalhadores ao longo do dia de aniversário da empresa.

    A ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, anunciou nesta quinta-feira (03), durante vista ao Ceará, que será assinado, até o fim deste mês, o termo de compromisso para a liberação do terreno em que será implantada a Refinaria Premium II.  O equipamento será instalado no Pecém, em São Gonçalo do amarante, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
    Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, governador Cid Gomes e o diretor de abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, confirmaram liberação do terreno para a Refinaria Premium II Foto: Natinho Rodrigues
    As dificuldades na cessão de uma área de 543 hectares, de posse da comunidade indígena Anacés, para a Petrobras estavam entre os principais entraves para o início das obras. No total, o empreendimento ocupará uma área de 1.940 hectares.

    "O cercamento já foi iniciado, até o dia 31 será assinado o termo de compromisso com as comunidades indígenas e em abril de 2014 começam as licitações para a construção da Refinaria", projetou a ministra, que em Fortaleza se reuniu com o governador Cid Gomes e com o diretor de abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza .

    "Hoje discutimos que tipo de intervenções podem ser antecipadas e acertamos reuniões mensais entre a Petrobras e o Governo do Estado para que todas as questões que precisam ser equacionadas possam ser feitas com rapidez. Por exemplo, a Petrobras está de namoro com aSinopec e vamos ver se segue para um casamento firme", brincou Miriam Belchior, sobre a possibilidade de fechar sociedade com a multinacional chinesa.

    Já o governador Cid Gomes minimizou o fim das negociações com a empresa coreana GS Energy, nas quais ele próprio interveio. "Não tenho interesse nenhum em escolher A, B ou C. para a Petrobras. Eu, por delegação da presidente Graça Foster, fiz contato, mas por razões que dizem respeito exclusivamente à própria empresa, ela desistiu".

    A Refinaria Premium II tem estimativa de produzir, quando concluída, 300 mil barris por dia, de subprodutos do petróleo como óleo diesel, gás de cozinha, querosene de aviação, nafta petroquímica e coque. Os investimentos devem ser superiores a R$ 22 bilhões e o número de empregos diretos e indiretos gerados previsto é de 90 mil vagas.
    "Ciro tem as opiniões dele"
    Cid também relativizou as declarações do irmão e secretário da Saúde do Ceará, Ciro Gomes sobre uma eventual "enrolação" da Petrobras na aprovação do projeto da Refinaria Premium II.

    "O Ciro tem as opiniões dele e eu tenho as minhas. A única coisa em que estamos absolutamente sincronizados é na questão da saúde, a partir do compromisso que ele assumiu com o Governo do Estado", defendeu.

    Primeiro trecho do Anel Viário até dezembro
    Após reunião, com duração de quase três horas, o governador Cid Gomes ainda acompanhou a ministra do Planejamento na visita às obras de duplicação do Anel Viário da Região Metropolitana e da revitalização das margens do Rio Maranguapinho.

    O gestor assegurou que "o primeiro trecho do Anel Viário, ligando a Avenida Mister Hull até o cruzamento da BR-222 com a BR-020, em Caucaia, será concluído até dezembro deste ano e toda ela até dezembro de 2014".  A obra integra o chamado Plano de Logística de Transporte, que pretende ligar o Porto do Mucuripe ao Porto do Pecém, com a construção de uma nova via ligando o próprio Anel Viário à Ponte da Sabiaguaba.
    "O acesso ao Porto se dá hoje pela Via Expressa, o que causa grandes congestionamentos naAv. Murilo Borges e na BR-116. Já temos a obra licitada e está prevista para começar até 15 de outubro, o que vai desafogar muito o trânsito em Fortaleza. Será uma via rápida, com pavimento de concreto e sem nenhum semáforo", detalhou.
    Vereador afirmou que a exibição do vídeo não era para fazer chacota Foto: Arquivo
    Vereador afirmou que a exibição do vídeo não era para fazer chacota Foto: Arquivo
    O vereador Carlos Mesquita (PMDB) exibiu, durante sessão na Câmara, o trecho de um vídeo que mostra os acampados do Cocó realizando uma festa na área onde estão há quase três meses. O parlamentar defendeu  que o prefeito Roberto Cláudio precisa chamar os manifestantes para diálogo.
    O parlamentar negou que a exibição do vídeo era para fazer chacota. “Não estou fazendo chacota. Só quero mostrar que, quando vi a alegria dessas pessoas, comecei a entender que eles não querem briga. Olha só como a Rosa da Fonseca está alegre e jovial”, afirmou.
    Enquanto o vídeo era exibido, vereadores que estavam na cantina da Câmara foram rapidamente ao plenário para acompanhar o trecho que era mostrado. Alguns parlamentares que realizavam conversas paralelas durante o pronunciamento de Carlos Mesquita também pararam para assistir às imagens.
    Carlos Mesquita acredita que Roberto Cláudio precisa mostrar humildade para resolver o conflito entre Prefeitura e manifestantes. “A cada mês que passa nesse impasse, é um prejuízo para a cidade. Prefeito, vá lá conversar com esse pessoal para ver se é possivel que eles saiam de uma forma bacana”, acrescentou.
    Logo após o pronunciamento de Carlos Mesquita, o vereador João Alfredo (PSOL) abriu o discurso afirmando que queria prestar solidariedade à militante Rosa da Fonseca. Segundo o parlamentar, ela tem sido ridicularizada.
    O BNDES afirmou, em nota, que "avalia como positiva a possibilidade da realização da operação" da fusão da Oi com a Portugal Telecom, anunciada nesta quarta-feira pelos acionistas controladores das duas companhias.
    "A iniciativa consolida a internacionalização da Oi e a almejada escala global, com uma estrutura societária simplificada e com melhor padrão de governança, que deve fortalecer a empresa para enfrentar os desafios presentes em seu setor de atuação."
    Segundo o BNDES, a capitalização proposta pelo projeto de fusão "robustecerá sua capacidade financeira e de investimento". Um dos maiores problemas da Oi era seu alto endividamento, que só crescia diante de uma geração de caixa que não era suficiente para abater suas dívidas.
    O banco estatal, porém, não se comprometeu a participar da capitalização prevista na operação.
    "O BNDES analisará as implicações da transação proposta, com vistas ao seu posicionamento na nova estrutura societária da companhia."
    O BNDES, ao lado de fundos de pensão das estatais, possui 38% na Telemar Participações S/A, dona de 56% das ações ordinárias (com direito a voto) da Oi.
    O banco e os fundos terão de participar do aumento de capital previsto na operação. Os acionistas privados (La Fonte Telecom e Andrade Gutierrez) que estão no bloco de controle da Oi já sinalizaram que vão participar da capitalização da companhia.

    CAPITALIZAÇÃO

    A ideia é realizar um aumento de capital no valor total entre R$ 13,1 bilhões e R$ 14,1 bilhões. Desse valor, entre R$ 7 bilhões e R$ 8 bilhões serão em dinheiro.
    O restante (R$ 6,1 bilhões, no máximo) virá dos atuais acionistas da companhia, que poderão comprar ações da Oi numa oferta pública a ser realizada no primeiro semestre de 2014. O objetivo é respeitar a atual proporção de ações ON e PN e a representatividade de cada um dos acionistas.
    De sua parte, a Portugal Telecom não colocará dinheiro novo na companhia. Irá aportar entre R$ 5,8 bilhões e R$ 6,4 bilhões em ativos e ações que já possuí na Oi --esse valor foi estimado, mas uma nova avaliação será feita até a conclusão da operação.
    Só após a oferta de ações da Oi, é que a nova empresa resultante da fusão, a CorpCo, migrará para o novo mercado da Bovespa. A empresa também será cotada na Bolsa de Nova York e na de Lisboa.

    ACIONISTAS PRIVADOS

    Pedro Jereissati, controlador da La Fonte Telecom, disse que "os atuais acionistas controladores da Oi entendem que essa nova configuração, que resultará em uma empresa listada no Novo Mercado, fortalece a nova empresa e reforça o alinhamento entre todos os acionistas, viabilizando uma estrutura de capital que permita à nova companhia ter uma ambição global."
    Segundo ele, a empresa que resultará após a fusão é "mais um passo na direção de se criar uma grande empresa multinacional de telecomunicações com ambição global. Estamos comprometidos com este projeto e participarão nesta construção, demonstrando a sua confiança nas perspectivas futuras da nova companhia."
    De acordo com Otavio Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, a "aliança industrial que celebramos em 2010 [com a Portugal Telecom que assumiu a direção da parte de tecnologia da Oi] permitiu um conhecimento profundo da realidade das duas companhias, da excelente qualidade e profissionalismo das suas equipes que nos permite hoje dar este passo de forma segura e confiante."
    Para o BNDES, a fusão resultará "na elevação da qualidade dos serviços prestados aos usuários" e irá induzir a procura por bens e serviços no Brasil, ou seja, fortalecendo a cadeia de fornecedores locais da companhia.
    O estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostrando, na semana passada, que o número de homicídios de mulheres não diminuiu no período de aplicação da Lei Maria da Penha tirou o sono da ministra Eleonora Menicucci.
    Ela não contesta os dados, que mostram que a taxa média de mortalidade, antes de 2007, era de 5,28 por 100 mil habitantes, e depois da lei chegou a 5,22 por 100 mil. E sim as conclusões tiradas do trabalho. Ela recebeu a coluna no sábado em sua casa, em Pinheiros, em SP, para a seguinte entrevista.
    Bruno Poletti/Folhapress
    *
    Folha - A lei fracassou?
    Eleonora Menicucci - A Lei Maria da penha é um sucesso. Ela substituiu uma lei que, essa sim, era fracassada. Antigamente, a penalização para o agressor era distribuir cestas básicas e fazer trabalho comunitário. Isso incentivava a violência e não estimulava as mulheres a denunciarem. Ao contrario, elas tinham vergonha de dizer que apanhavam. A Lei Maria da Penha mudou isso.
    Talvez não tanto quanto o desejado?
    A Lei Maria da Penha tem apenas sete anos. Ela não está nem na adolescência, ela está ainda na segunda infância. E seu primeiro sucesso foi possibilitar uma articulação inédita entre os poderes executivos nacional, estadual, e municipal com o judiciário, as promotorias e o sistema de segurança pública do país inteiro. Houve uma mudança de concepção. As defensorias públicas, antigamente, defendiam o réu [no caso, homens acusados de agressão]. Hoje, elas defendem a vítima [a mulher agredida]. Isso já é um ganho extraordinário.
    Os magistrados muitas vezes não são sensíveis a ela?
    Isso ainda é um problema. Alguns juízes, lá do caixa prego, resolveram pedir atestado psicológico da mulher antes de conceder a ela a medida protetiva, que determina que o agressor fique a uma determinada distância dela. Isso é duvidar da fala da mulher e pode ter consequências graves. Hoje, o juiz tem o prazo de 30 dias para expedir a medida protetiva. Fomos ao CNJ pedir que esse prazo seja reduzido para 24 horas. A Elisa Samúdio [assassinada pelo goleiro Bruno] pediu e não obteve a medida. Ela morreu. Com a proteção, provavelmente estaria viva.
    E o caso de Luana Piovani, em que o Tribunal de Justiça do Rio anulou a condenação do ex-namorado dela, Dado Dolabella, porque a atriz não seria vulnerável?
    Eu acho um absurdo. Só porque ela é rica, bonita, autossuficiente? A vulnerabilidade não pega classe social. As mulheres de classe média para baixo denunciam mais. A classe alta tem mais vergonha. Por isso a Luana foi extraordinária, exemplar. É aquele velho paradigma patriarcal: ela é bonita, estava na boate, usa vestidos curtos, ela estava pedindo. A Lei maria da Penha é clara: mulher nenhuma pede para ser violentada ou agredida.
    Por que o número de homicídios de mulheres não caiu?
    Os dados desse estudo de uma pesquisadora do Ipea são baseados no 180 [número que recebe denúncias] e em dados do SUS. A fonte é legítima e correta. Mas os números não mostram o que é o simples homicídio, em que a mulher morre num assalto, por exemplo, do feminicídio, em que ela é assassinada por uma questão de gênero, por causa de uma relação de opressão e de violência doméstica. Nós estamos debatendo um projeto de lei que transforma o feminicídio em crime, com agravantes para o acusado. A conclusão de que esse estudo mostra que a Lei Maria da Penha fracassou é equivocada. Não é só o número de mortes de mulheres que vai definir o sucesso ou não da lei.
    O que é então?
    Só em 2011 foram 30 mil prisões de homens enquadrados na Lei Maria da Penha. As projeções mostram que, nesse ano, serão 38 mil. Nós temos mais de 300 mil medidas preventivas, protetivas, expedidas. A lei já salvou mais de 300 mil vidas. Houve julgamentos exemplares que reforçam o caráter educativo da lei. Só 2% nunca ouviram falar dela. E há novidades interessantes por todo o país.
    Quais?
    No Espírito Santo, cem mulheres receberam o botão do pânico, com um GPS. Quando o agressor se aproxima, a mulher aperta o botão. Uma viatura policial chega imediatamente. Dois homens já foram presos por causa disso. Em Minas Gerais, os homens acusados têm que usar tornozeleiras. Em 2006, quando a lei foi promulgada, 46 mil mulheres ligaram para o 180. Estamos chegando já a um total de 4 milhões de ligações em sete anos. As mulheres estão mais confiantes. Sabem que não estão sozinhas. O Estado está do lado delas.
    Mas os dados de homicídio podem ser um sinal.
    Temos uma cultura patriarcal muito forte, da posse do corpo da mulher. As mulheres tinham dificuldade de romper esse ciclo de violência porque não tinham a porta de saída, que é a autonomia econômica, a possibilidade de entrar no mercado de trabalho. Agora elas têm e têm também o aparato legal para combater a violência. Mas não se muda uma mentalidade de quatro séculos em sete anos. A lei não faz milagre. Mas a Maria da Penha é um "chutezinho" para o começo do fim da impunidade.
    *
    LENHA NA FOGUEIRA
    É tenso o clima no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que julga nos próximos dias se a Rede, de Marina Silva, poderá obter o registro ainda que não tenha alcançado o número de assinaturas exigido por lei, e a tempo de lançá-la candidata à Presidência. O tribunal está rachado, com ministros se acusando mutuamente nos bastidores.
    LENHA
    O racha não ocorre por causa da Rede e sim da criação do Solidariedade, de oposição, e do Pros, que deve apoiar o governo federal. Há ministros inconformados com a flexibilização das regras para a criação das novas legendas. E dispostos a tornar sua insatisfação pública.
    É TUDO VERDADE
    Rafinha Bastos vai lançar ainda este mês "Marcapasso", seu novo projeto no YouTube. O apresentador deixará a comédia de lado para contar histórias reais de pessoas comuns. "Grande parte dos vídeos que fazem sucesso na internet é de humor. É hora de investir em outros tipos de conteúdo."
    TEMPERO DOS ANDES
    O chef Olivier Anquier e a mulher, a atriz Adriana Alves, estiveram no jantar de lançamento da Perú Week, realizado na segunda-feira (30), na Vila Olímpia. O autor de novelas Walcyr Carrasco, o cônsul-geral do Peru em São Paulo, Arturo Jarama, a fotógrafa Valéria Abreu Afrange e os atores Maria Maya e Juliano Cazarré também foram ao evento.

    Fonte: Folha de São Paulo